quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Brinde à elegância

Menores e mais sofisticados, bares de bandeja ganham destaque na casa e trazem requinte aos momentos de prazer e degustação de um aperitivo com amigos ou após um dia cheio. conheçaalgumas dicas.

    Tomar um aperitivo com os amigos, sem exagerar na dose, é um ato de sociabilidade que acompanha a humanidade há incontáveis séculos. O gosto pela bebida é democrático e une desde os apreciadores da legítima cachaça brasileira até os enólogos de paladar exigente. Nas últimas décadas, com a valorização do lar como espaço para descanso e proteção, as casas ganharam espaços convidativos para relaxar após um dia cansativo, onde o sabor de um bom vinho ou licor sempre cai bem. Móveis grandes e trabalhados começaram a ser montados próximos à sala para guardar copos, taças, cristais e garrafas. Mais recentemente, a partir de meados da década de 1990, eles começaram a ser substituídos por aparadores mais elegantes e discretos, que criaram um modo mais contemporâneo de oferecer um drinque aos amigos. São os chamados "bares de bandeja". 

   
A opção por montar barzinhos com um mobiliário menos volumoso e adaptado ao projeto de decoração deve-se em grande parte à integração dos ambientes, em busca de aconchego em casa e à mudança natural dos movimentos culturais que marcam a evolução da sociedade. Mas há também um motivo mais prático para justificar essa tendência. "Os espaços ficaram menores. É mais difícil encontrar, atualmente, apartamentos com salas amplas que justifiquem construir um bar muito grande. Também há aparelhos, como telões, caixas de som e poltronas, que precisam ficar mais bem distribuídos. Tudo isso fez o conceito de bar mudar", afirmam os arquitetos Marcos Biarari e Marcos Contrera.


    Antenados com as últimas novidades do mercado, os dois arquitetos explicam que os bares de bandeja são uma espécie de cartão de visitas dos moradores, exibindo suas preferências e a delicadeza com que recebem seus convidados. Biarari diz que existem materiais adequados para atender todo tipo de gosto. "Pode ser um aparador que faz uma releitura do barroco, mais trabalhado, para quem gosta desse estilo. Mas também há opções mais sofisticadas, como um móvel espelhado, que dá um ar de modernidade."
Diminuir o espaço dedicado ao bar tem implicações também nas escolhas dos moradores. Não há como deixar todo o jogo de cristal à mostra e à mão sobre a bandeja, então é importante selecionar com carinho os objetos que vão compor o cenário.

Formas e cores
Uma das vantagens de ter um bar de bandeja é a liberdade de composição do móvel com o ambiente. É permitido ousar e abusar de linhas retas, mais sóbrias, em contraste com revestimentos mais chamativos nas paredes. Jarros, copos, taças e louças podem traduzir o estilo predileto dos moradores sem brigar com a decoração. Quem dita as regras, agora, é o gosto do cliente, que pode deixar sobre a mesa pequenas taças para degustar um licor no fim do dia ou então, se for um fã do tradicional Scotch, pode ter copos maiores e baldes de gelo.
Biarari e Contrera lembram, porém, que as mudanças culturais importantes trazidas pelos tempos modernos, que tornaram os bares menores, são as mesmas que, em um sentido mais amplo, valorizam a democracia e o respeito à diversidade de gostos. Por isso, mesmo que o morador seja um apreciador de vinhos e frisantes, é de extrema elegância dispor taças diversas para os convidados não se sentirem constrangidos quando quiserem pedir outros tipos de bebidas, além - claro - de resultar num visual bem diferente. "O intuito do bar é ter os amigos sempre perto, e o dono da casa precisa se preocupar em oferecer o melhor para quem ele recebe", opina Biarari.


Nenhum comentário:

Postar um comentário